Ninguém duvida que poucas tragédias tão profundas como ser órfão. Criando cicatrizes indesejadas, no núcleo da alma humana. Eu cresci em uma casa com ambos os pais presentes, e só posso imaginar como é procurar toda a sua vida por alguém que realmente conhece você. A criação real não pode ser forçada – não pode ser feita sem o coração inteiro, e talvez seja a ação humana mais corajosa. Nesta temporada, tivemos seis crianças que vivem na Vila Betânia, a maioria ao mesmo tempo, e isso também significa mais adoções do que nunca. Eu vejo nossa equipe trazer esses bebês tão perto que a sua realidade de perda por um momento desaparece. Apesar do que viveram sendo tão jovens, eu sei que eles são amados além das limitações humanas. Eles têm uma família de 30 cuidadores, que riem e choram com eles, que os levam às festas e ao shopping; que amorosamente escolhem seus panos e cortaram seus cabelos, que os alimentam, que lutam por passarem tempo com eles, que os levam ao médico no meio da noite, que dançam com eles e os ensinam a cantar. Observando nossa equipe chorar quando as crianças saem numa combinação de tristeza e alegria, não tenho dúvidas de que são algumas das crianças mais amadas da Terra. E é assim que lembro de cada um deles. Os bebês recebem um livro quando eles saem – com fotos e cartas para que daqui a 10 anos, eles saibam como foi a infância deles. Seus dois primeiros anos não serão tempos vazios com perguntas e mistérios. É como um livro cheio de assinaturas para que você nunca se esqueça o caminho que você percorreu, ou aqueles que caminharam ao seu lado. O espírito de adoção não é um ideal suave, é uma aliança inquebrável, feita de dentro para fora. Forte como osso. Nós somos simplesmente os sortudos que garantem sua existência. É a mesma aliança que Cristo fez conosco, chamando-nos de seu próprio corpo.

    Duas cartas de um dos livros descritos acima:

    “Marcus – Desde o dia em que te conheci, foi fácil te amar! Vendo tudo o que você conquistou e sabendo que por um momento conseguimos fazer parte de sua história é uma honra! Você é um garoto tão feliz, inteligente, amável e muito engraçado. Você gosta de usar chapéus, jogar futebol e adorar quando o tio Ned faz sons engraçados! Você também ama quando eu danço com você. Você toca violão e canta músicas para todos. Você tem um coração tão incrível e estou muito feliz por você ter uma nova família. Eu sei que Deus tem uma vida incrível para você. Te amo para sempre. Amor, tia Larissa.

    Caro Pequeno  Marcus,

    Obrigado por nos amar de forma tão simples e pura, e por nos deixar amar você e ter momentos engraçados com você. Obrigado por tudo o que você nos ensinou (para nos treinar para sermos futuros pais) e por todos os momentos incríveis que passamos juntos. Nós vamos sentir sua falta, mas estamos muito entusiasmados com sua nova família. Para sempre você será um dos meus melhores amigos! – Tio Ned “

    Outra adoção de nossa menina inspirou um artigo que foi publicado no dia do pai num jornal da cidade. Para resumir, este casal esperou quatro anos e dez meses de fila para adoção no Tribunal de Pernambuco. Quando quase perderam a esperança, veio a notícia de que o processo foi aprovado. Eles adotaram sua filha aos 1 ano de idade, o que significa que eles começaram a se preparar para ela 3 anos antes de ela ter nascido. Seus pais adotivos atestam a imensidão e a infinitude do amor de um pai, que transcende os laços de sangue. “Quando vimos sua foto, foi amor à primeira vista. Não era nada diferente do que sentimos por nossos dois filhos biológicos. Tudo sobre ela é bonita e parece que ela era nossa desde a gestação “.